Voa de tão leve ...







(...)


Eu lhe procuro, como quem procura um pouco de sombra onde se abrigar. E nessa sombra, eu quero aprender a minha filosofia de vida, a ser mais simples, mais humilde, mais natural e mais contente. Quer, pois, você, minha querida, ser a professora de alegria e de contentamento e de paz, para a minha vida? Não queiramos julgar que tudo isso seja sonho e fantasia. Por que há de ser? As coisas melhores que pude construir até hoje foram as minhas amizades. O nosso amor há de ser qualquer coisa de maior e de melhor. Ajude-me, pois a construí-lo. Com o seu auxílio, ele há de ser tão alto, tão sólido, tão humano e tão bom que irá para além do nosso sonho. Adeus. Saudades e saudades e saudades. Escreva-me muito. 


Todo seu
Anísio




TEIXEIRA, Anísio. Carta a Emília Ferreira Teixeira, Bahia, 31 jul. 1930.
Localização do documento: Fundação Getúlio Vargas/CPDOC - Arquivo Anísio Teixeira - ATc 30.06.22.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Calor.