quinta-feira, 29 de maio de 2014

Classic a (mente)

Culturas vivem de travessia . Prova disso são as histórias clássicas, que sobreviveram às intempéries e aí estão, ainda a nos encantar - para desgosto daqueles que , tendenciosamente forçam teorias , ineficientes ante às possibilidades da Língua, da História, afirmando, através da mesma violência da hegemonia, o viés de um mesmo discurso : excludente. 

Certo mesmo é que um clássico não existe e nem transcende o tempo por mero acaso. Não é à toa que uma de suas interpretações etimológicas seja justamente 
" classos - grande embarcação para viagens longas . "
Não é à toa que um clássico, " nunca termina o que tem para dizer" .  

E por que diz?  Só lendo para saber...


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Cultive sua flor... ઇ‍ઉ