Só sei ...

Ele queria explicar a nossa história.


Eu também queria entender.

Tanto tempo,   tantos encontros e ainda não descobrimos as razões.

Por que gosto dele?

Talvez por causa da calma bonita bordada em sua  voz,  por suas falas, que sintonizam tanto com as minhas (...) Talvez a causa esteja nos efeitos líricos que me assaltam todas as vezes que o vejo e na poesia que nos anuncia, sempre-e-tanto?

Não sei.

Quem sabe seja por causa daquela delicadeza que  exala quando  fixo nele o meu olhar,  e percebo um quê de abando em seus olhos e ainda,  aquela fragilidade escondida que só eu vejo..

 Talvez ame os  medos que ele nem sabe, mas sente.

Estar com ele é sempre como atravessar-me. É andar por Sevilha. É estar no  Pont des Arts .

Quem sabe  eu goste dele por alguma coisa muito mais simples.

Talvez porque meu acolhimento  alcança e abraça sua melancolia.

Talvez porque abraçando, sinto abraçada a solidão que é só minha.

Não sei.

Não. .. Desconfio que também não seja por sua inteligência,  pela gentileza presente em cada gesto , tampouco por suas mãos que sempre desenham  flores docemente  em minha pele.

Só o que sei é que não escolhi gostar dele.

Gostar dele é que me escolheu.

Sei também que a singular e impiedosa intensidade que há entre nós dispensa toda e qualquer explicação.


Definitivamente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da amizade.