quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011



E embora você seja o percalço, o solavanco, o sobressalto,
o gênio forte, amarei eternamente a paz de sua presença amiga,
sua fidelidade, seu diálogo curto, sua fala sem vícios,
seu jeito bucólico de enxegar a vida, seu cinismo de dizer meias verdades...
e sua fúria própria, indomável, marmorizada, de me amar sem limites.
Por isso, passa o tempo, rompem-se alvoradas... esvai-se
o nosso fiapo de vida... caem as estrelas... crescem as crianças...
arcam os caniços... vão e voltam as estações com as flores...
Morrem umas, nascem outras com outras nuanças...
E aqui dentro, igualmente, a verossimilhança que denuncia
o brilho dos teus olhos ocultos, você não passa.
Você não sara. Você não finda. Você não seca.
Você não cessa.
Você não morre.

Vera Fornaciari

4 comentários:

  1. SOU SEU MAIS NOVO SEGUIDOR.

    NA OPORTUNIDADE ESTOU CONVIDANDO PARA QUE CONHEÇA MEU BLOG DE HUMOR:

    "HUMOR EM TEXTO".

    A CRONICA DESTA SEMANA É :

    “ELA O CHAMOU DE LAMBISGÓIA”.

    QUE CRUELDADE !!!

    É DE HUMOR ...E DE GRAÇA!

    VENHA CONFERIR E COMENTAR!

    UM ABRAÇÃO CARIOCA.

    ResponderExcluir
  2. Olá :)
    teu blog é lindo, gostei MUITO,tô seguindo !!!
    beijo

    ResponderExcluir
  3. .

    E como é bom encontrar alguém que nos faça sentir assim...

    Lindo texto!

    Teu cantinho é um encanto.

    Deixo beijos e sorrisos

    =)


    .

    ResponderExcluir

Cultive sua flor... ઇ‍ઉ