quarta-feira, 25 de janeiro de 2012


Recomeça… se puderes, sem angústia e sem pressa
e os passos que deres, nesse caminho duro do futuro, dá-os em liberdade,
enquanto não alcances não descanses,
de nenhum fruto queiras só metade.


(Miguel Torga)

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Pois é nos desvios que encontra as melhores surpresas....

(Manoel de Barros)

Assombros..



Às vezes, pequenos grandes terremotos
ocorrem do lado esquerdo do meu peito.
Fora, não se dão conta os desatentos.

Entre a aorta e a omoplata rolam
alquebrados sentimentos.

Entre as vértebras e as costelas
há vários esmagamentos.

Os mais íntimos
já me viram remexendo escombros.
Em mim há algo imóvel e soterrado
em permanente assombro.


( Affonso Romano de Sant'anna)

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

É luz que me guia...


(...) Porque é Deus que segura a minha mão no meio da correnteza e Dela eu não solto nunca. Nunquinha. É pra vida inteira. É pra vida toda. É uma escolha. É fé que move. Esperança que rodeia. É amor que me cerca. É luz que me guia

[Vanessa Leonardi]

sábado, 7 de janeiro de 2012

Feliz Dia do Leitor =)



Guimarães Rosa me disse uma coisa que jamais esquecerei, tão feliz me senti na hora: disse que me lia "não para a literatura, mas para a vida
|Lispector|

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Dos caminhos..



"Nessa estrada quero achar gente doce, límpida, verdadeira e disposta. Quero topar com luz, desapego e paz." 

(Caio F. Abreu)

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012


"Nos demais, todo mundo sabe, o coração tem moradia certa, fica bem aqui no meio do peito, mas comigo a anatomia ficou louca, sou todo coração." 


(Maiakovski)

“Foi um momento o em que pousaste sobre o meu braço, 
num movimento mais de cansaço que pensamento, a tua mão, e a retiraste. 
Senti ou não? Não sei. Mas lembro e sinto ainda qualquer memória fixa e corpórea onde pousaste a mão que teve qualquer sentido incompreendido, mas tão de leve!.. Como se tu, sem o querer, em mim tocasses para dizer qualquer mistério, súbito e etéreo,
que nem soubesses que tinha ser.” 


(Fernando Pessoa)